F1 – GP da Itália 2011

O Grande Prêmio da Itália O primeiro GP da Itália foi disputado 04 setembro de 1921, em Montichiari, na província de Brescia, em um circuito feito de vias públicas. No ano seguinte foi construído o Autodromo Nazionale di Monza, e desde então ele sempre correu na pista de Monza, com exceção de quatro vezes (1937, 1947, 1948 e 1980).

Resumo:

Sebastian Vettel quebrou o estigma de que a Red Bull não anda bem em Monza. Neste domingo, o alemão venceu o GP da Itália sem muitas dificuldades. Para os fanáticos torcedores da Ferrari, houve ao menos um consolo: Fernando Alonso subiu ao pódio, em terceiro. A corrida foi especial para Bruno Senna: nono colocado, ele somou seus primeiros pontos na categoria.

Em sua segunda corrida como piloto titular da Renault, Bruno Senna tomou um susto logo no início. Ele escapou de um acidente, mas perdeu várias posições. O brasileiro tomou uma decisão que logo mais se mostrou acertada: ao parar mais cedo nos boxes e trocar os pneus médios pelos macios, ele teve bom rendimento na parte final da prova.

O GP da Itália foi o primeiro desta temporada no qual a Red Bull não viu um de seus dois carros completarem a prova. Mark Webber abandonou no começo da corrida, após ficar sem o bico de seu carro em um toque com Felipe Massa. O brasileiro terminou na sexta posição.

Alonso aproveitou o abandono do australiano para assumir a segunda colocação no Mundial de pilotos. Para assegurar o terceiro lugar, o espanhol resistiu às investidas de Hamilton no fim da prova. Jenson Button, da McLaren, foi o segundo colocado em Monza.

Vettel conquistou sua oitava vitória em 13 corridas disputadas neste ano e segue a passos largos rumo ao bicampeonato. O peloto da alemão abriu uma vantagem de 112 pontos para Alonso.

9h Corrida – 53 voltas (Rede Globo)

Confira o resultado final do GP da Itália, em Monza (306,720km):

1 – Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) – 53 voltas em 1h20m46s172
2 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – a 9s590
3 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 16s909
4 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – a 17s471
5 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – a 32s677
6 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 42s993
7 – Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) – a 1 volta
8 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – a 1 volta
9 – Bruno Senna (BRA/Renault-Lotus) – a 1 volta
10 – Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) – a 1 volta
11 – Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth) – a 1 volta
12 – Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) – a 1 volta
13 – Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) – a 1 volta
14 – Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault) – a 2 voltas
15 – Timo Glock (ALE/MVR-Cosworth) – a 2 voltas

Não completaram:
Daniel Ricciardo (AUS/Hispania-Cosworth) – a 14 voltas/correndo
Sergio Perez (MEX/Sauber-Ferrari) – a 21 voltas/mecânico
Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – a 32 voltas/mecânico
Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) – a 44 voltas/mecânico
Mark Webber (AUS/RBR-Renault) – a 49 voltas/acidente
Jerome D’Ambrosio (BEL/MVR-Cosworth) – a 52 voltas/mecânico
Vitaly Petrov (RUS/Renault-Lotus) – a 52 voltas/acidente
Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 52 voltas/acidente
Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth) – a 52 voltas/acidente

Melhor volta: Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – 1m26s187, na 52ª

Qual seu palpite? Deixe um comentário...